Direito Preventivo

Direito Preventivo – Todo negócio tem riscos legais

O Direito Preventivo é uma abordagem da prática do direito orientada para evitar que os riscos jurídicos se transformem em problemas jurídicos. A partir desta definição única, o leitor perspicaz já terá deduzido o valor para as empresas dos serviços jurídicos preventivos. Muito simplesmente, se um advogado puder ajudar uma empresa a lidar com seus riscos legais e, assim, evitar que esses riscos se tornem problemas legais, o advogado terá prestado um serviço valioso para a empresa.

A maioria das empresas carrega consigo uma certa quantidade de risco legal, e é por isso que a implementação da lei preventiva pode render muito valor. O processo de implementação do direito preventivo começa com a escolha de um advogado e requer um bom entendimento das necessidades jurídicas de sua empresa.

O advogado preventivo em sua função trabalha proativamente com os clientes para identificar possíveis pontos de problemas legais e projetar intervenções que evitem que esses riscos ocorram. Além disso, no entanto, o advogado multidimensional é um Solucionador de Problemas para aqueles problemas que surgem, apesar dos melhores esforços preventivos. A Jus Econômico ouve ativamente para entender um problema em seu contexto de negócios, relacional ou organizacional e tenta solicitar uma resolução abrangente e duradoura do problema pelas próprias partes. Na falta disso, ou quando as preocupações da justiça parecem justificar isso, o advogado multidimensional pode se tornar o Combatente que inicia a resolução judicial do problema. Todas as três dimensões da advocacia são importantes. A chave para um advogado prestar o melhor serviço ao cliente, em suma, é que o advogado seja polivalente ou faça parte de uma equipe de profissionais que prevenirá quaisquer problemas que possam ser evitados, aborde imaginativa e cooperativamente os problemas que surgem, mas sempre dispostos a litigar tradicionalmente onde soluções mais acomodatícias são inviáveis ​​ou inadequadas. O advogado multidimensional deve ser um ouvinte sensível, um conselheiro de mente aberta, mas cético e realista, uma pessoa com a visão criativa para entender ambientes problemáticos e fazer sugestões para sua reestruturação, e um advogado com coragem e paixão para promover o sucesso de um cliente. interesses em qualquer foro requerido”

O que é Direito Preventivo?

O direito preventivo é um método de direito que visa analisar antecipadamente os riscos jurídicos importantes que podem surgir na vida comercial e tomar as medidas necessárias e, assim, evitar problemas antes que eles ocorram. Especialmente em nosso país, devido aos longos períodos de julgamento e ao fato de as partes não estarem abertas à conciliação, quando ocorre um problema jurídico, a solução demanda muito tempo e esforço e traz consigo encargos administrativos e financeiros. Além disso; também não é possível prever as consequências de uma possível disputa judicial.

É por isso; pretende-se tomar algumas medidas fazendo as análises necessárias no âmbito do direito preventivo e prevenir grandes problemas com medidas simples. Então, o que pode ser feito no âmbito dos estudos do direito preventivo?

Para começar, vamos discutir o significado do direito preventivo

Da mesma forma que a manutenção preventiva do veículo mantém seu carro funcionando sem avarias caras, a lei preventiva pode ajudá-lo a evitar grandes problemas legais que podem ocorrer no futuro. Ao manter o conselho jurídico, você pode garantir que sua empresa permaneça em conformidade com os regulamentos, seguindo práticas legais sólidas.

Algumas áreas em que o direito preventivo pode ajudar incluem:

  • Escolher um tipo de entidade apropriado para o seu negócio e cumprir todos os requisitos para manter essa designação legal.
  • Criação de contratos claramente definidos e que atendem aos seus interesses, inclusive em caso de disputa.
  • Definição de políticas para operações internas e interações externas.
  • Gestão de funcionários e manutenção de boas práticas de contratação.

Em última análise, o direito preventivo é a prática de manter-se alinhado com as melhores práticas e leis pertinentes.

Os advogados que praticam direito preventivo para empresas devem ser proativos em seus esforços para analisar os riscos legais, levá-los à atenção dos tomadores de decisões de negócios e apresentar soluções para evitar que esses riscos se metastatizem em problemas legais caros. Se utilizados corretamente, os serviços jurídicos preventivos permitirão que o cliente do advogado preventivo se concentre em administrar seus negócios em vez de resolver problemas jurídicos. Em termos econômicos, os serviços jurídicos preventivos reduzem os custos de oportunidade de um negócio, permitindo que eles direcionem seus recursos mais valiosos para alcançar seus objetivos mais gratificantes.

Além disso, trabalhar como um solucionador de problemas para resolver quaisquer problemas que surjam, apesar do planejamento prévio adequado, é um serviço valioso que qualquer empresa deve reconhecer facilmente. Todas as empresas enfrentam riscos legais, mas um advogado que trabalha como consultor jurídico externo de uma empresa pode ajudá-los a identificar e lidar com esses riscos antes que eles se tornem problemas. Para progredir, é preciso correr riscos. Um bom advogado de negócios usando uma abordagem preventiva para a prática da lei pode evitar que você corra riscos ruins. Esse é o valor que os serviços jurídicos preventivos criam para uma empresa.

Passos para a Implementação da Lei Preventiva

Para implementar com sucesso a lei preventiva em seu negócio, siga os passos descritos abaixo.

1. Escolha um advogado

O processo começará com a escolha de um advogado que atenda às necessidades da sua empresa. Ao obter referências, fazer pesquisas e entrevistar advogados em potencial, você poderá encontrar alguém que tenha experiência em direito societário. Eles devem estar familiarizados com os assuntos mais relevantes para o seu negócio.

2. Discuta os objetivos de negócios

Com seu advogado, discuta seus objetivos de negócios. Seu setor e tipo de entidade devem fazer parte disso, pois afetará os tipos de tarefas legais que você precisará executar.

3. Determine quais necessidades legais são relevantes para seus objetivos

Com seus objetivos em mente, determine quais serviços jurídicos você pode precisar para alcançá-los. Você precisará negociar contratos de compra? Limitar os riscos das operações diárias? Gerenciar uma força de trabalho confiável? Talvez você esteja começando e precise escolher um tipo de entidade. Quaisquer que sejam suas necessidades, discuta-as com seu advogado e determine como eles podem ajudá-lo a alcançar seus objetivos.

4. Revise todos os acordos/políticas e coloque-os por escrito

Se você tiver contratos existentes, revise-os e veja se eles podem ser atualizados. Além disso, revise suas políticas atuais e discuta como elas podem ser atualizadas para limitar a responsabilidade. Depois de ter um conjunto de políticas, práticas e contratos nos quais você pode confiar, certifique-se de que eles sejam colocados por escrito.

5. Siga as práticas e políticas de rotina

Ter políticas e contratos em vigor é importante, mas você também precisa certificar-se de cumpri-los em suas operações diárias. Isso pode envolver tarefas repetidas, como reuniões, relatórios e assim por diante.

Treinamentos para gerentes executivos

Como se sabe, devido ao ativo dia-a-dia das empresas e à agenda atarefada dos gestores das empresas, os riscos que podem ser enfrentados com frequência na vida prática são negligenciados e os danos que poderiam ser evitados por briefings básicos induzem à responsabilidade legal e fiscal tanto das empresas como dos gestores das empresas.

Por isso, principalmente as empresas que conseguiram se institucionalizar e entenderam a importância do direito preventivo obrigam seus gestores a terem treinamentos sobre o sistema jurídico em que atuam e as implementações práticas vinculadas ao mesmo, para que tenham informações sobre determinados temas e para proteger a si e à empresa que administram de possíveis danos e responsabilidades.

Em especial, os contratos que celebram relativos às atividades comerciais diárias, os cheques, títulos e outros títulos negociáveis ​​que recebem para cobrança de pagamentos, os processos de gestão de sinistros, proteção de segredos e dados pessoais da empresa, procedimentos de recrutamento e áreas afins diversas constituem grandes riscos para os gerentes executivos. Nesse sentido; os gerentes executivos das empresas, que têm uma agenda lotada, podem minimizar as responsabilidades legais, financeiras e criminais tanto das empresas que administram quanto de si mesmos, com informações jurídicas simples filtradas sobre o mundo empresarial atual e a vida comercial.

Processos de Gestão de Riscos

Uma das questões mais cruciais para as empresas é a gestão de riscos. Embora esta questão seja tratada com precisão por algumas empresas de grande porte, esta importante questão é muitas vezes negligenciada por empresas que têm atividades comerciais diárias ocupadas, e tantos riscos que poderiam ter sido previstos e evitados induzem a custos sérios para essas empresas.

É de grande importância não apenas preparar os contratos cuidadosamente, mas também monitorar a aplicação adequada das disposições contratuais. De forma similar; o risco de preços de transferência devido às transações das empresas com partes relacionadas, os custos que podem ser enfrentados devido a lacunas nos contratos de trabalho, os riscos das garantias apresentadas e os compromissos assumidos pelas empresas são também alguns dos motivos que acarretam prejuízos importantes para as empresas.

Nesse sentido; por meio de uma análise abrangente, seria possível eliminar ou minimizar os principais riscos jurídicos e financeiros por meio de simples ações preventivas, como o exame dos contratos firmados pela empresa no âmbito de suas atividades comerciais e a determinação dos riscos jurídicos nesse contexto, elaboração de norma forma de contratação, levando em consideração as necessidades da empresa e possíveis disputas para uniformidade nas transações comerciais, exame dos contratos de trabalho e determinação dos riscos existentes, apuração de possíveis ilegalidades em relação ao direito societário e tomada das ações corretivas necessárias.

Depois de colocar um plano em prática

Quando você tem um plano de direito preventivo, é importante revisá-lo de vez em quando com seu advogado. Afinal, as necessidades da sua empresa mudarão com o tempo, e pode haver lacunas em seu plano que não sejam imediatamente óbvias desde o início. Como tal, você deve consultar regularmente seu advogado para ver como seu plano pode ser melhorado ou atualizado ao longo do tempo.

Se a sua empresa renunciou a serviços jurídicos preventivos, como consultoria geral externa, redação e revisão de contratos ou avaliação de riscos, ligue para nossos advogados preventivos e deixe-nos mostrar como podemos agregar valor ao seu negócio, ajuda você atinge seus objetivos, ajuda você a ser mais produtivo e impede que seus riscos legais se tornem problemas legais. O Direito Preventivo funciona, e nós queremos que funcione para você.